InicioQuem SomosVida PlenaPalavra de DeusEscola dos ProfetasNotíciasVídeoAgenda Fotos ParticipeContato 
Palavra de Deus > Estudos Bíblicos


Daniel 9

REVISÃO:
 
Daniel 8:26-27: Diz Daniel: “Espantei-me acerca da visão, pois não havia quem a entendesse”.

Sua incapacidade de entender toda a visão das 2.300 tardes e manhãs, deixou Daniel irrequieto e ansioso para entendê-la.

O anjo Gabriel recebera a ordem de fazer Daniel entender a visão (cf. Daniel 8:16), mas ele não pôde suportar seu impacto. Ele desmaiou, ficou doente alguns dias e muito ansioso para descobrir todos os seus significados (cf. Dan. 8:27).

No capítulo 9, vemos Gabriel retornando para completar a explicação da profecia das 2.300 tardes e manhãs.

Daniel 9 tem quatro partes bem claras, como listadas abaixo:

Daniel 9:1-2 - A referência de Daniel ao seu estudo da profecia dos 70 de Jeremias;
Daniel 9:3-19 - A oração sincera e suplicante de Daniel;
Daniel 9:20-23 - O retorno de Gabriel;
Daniel 9:24-27 - A “explicação” dos 2.300 dias/anos – e do que haveria de acontecer ao longo desse período.

ESTE ESTUDO: DANIEL 9

Dan. 9:1-2

Primeiro ano de Dario – 9 anos após Daniel 8.

Jer. 29:10-15 – A desolação = 70 anos.

Pergunta: Qual é o significado da profecia dos 70 anos de Jeremias?

2 Crôn. 36:14-21
Levítico 25:3-4
– A terra descansava a cada 7º ano.

Dan.  9:3-19 – Daniel ora para que Israel se arrependa

v. 4  - Deus mantém Seu pacto de misericórdia para com aqueles que guardam Seus mandamentos;
v. 10  - Israel não havia obedecido a Deus, nem guardado suas leis;
v. 11, 15  - Daniel reconhece os pecados do povo;
v. 14  - Daniel reconhece a justiça de Deus em Suas obras;
v. 17-18  - Pedidos pela restauração do santuário em Jerusalém;
(Repare nos elementos do santuário e do êxodo aos quais Daniel fez referência em sua oração).
v. 19 - Daniel implora perdão.


Os Elementos da Oração de Daniel:

1. Ele orou com profundo sentimento de necessidade;
2. Ele dependia da justiça de Deus e não de sua própria;
3. Ele usou as escrituras que ele possuía;
4. Ele confessou seus próprios pecados e os do povo;
5. Ele sempre trabalhava para a glória de Deus e de Seu santuário;
6. Ele clamava e vivia de acordo com as promessas de Deus.
  

Dan. 9:20-23 - Gabriel retorna.

Dan. 9:24-27 – Leia toda a seção.

Dan. 9:24


“Setenta semanas estão decretadas...” .

- A palavra hebraica “chathak” significa “cut off”.

- Assim, as setenta semanas são uma parte do período da profecia dos 2.300 anos que Gabriel está explicando a Daniel.
 

FIGURA Nº 1
 


Dan. 9:25:

“Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém até o Ungido, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; com praças e tranqueiras se reedificará, mas em tempos angustiosos.”

O decreto para “restaurar e reconstruir” Jerusalém:

Foram feitos três decretos para restaurar Jerusalém:

1. Esdras 1:1-4 - 1º decreto de Ciro em 538-537 a.C.
2. Esdras 6:7-12  - 2º decreto de Dario em torno de 519 a.C.
3. Esdras 7:11-12  - Último decreto de Artaxerxes em 457 a.C.

O último decreto restaurou a autoridade total do governo de Israel.

Os dois primeiros decretos tinham a haver apenas com detalhes de reconstrução. 

Foi somente com o decreto de Artaxerxes em 457 a.C. que ocorreu a completa restauração, inclusive restauração política e governamental.

Esdras 7:25-26
 
Esdras 6:14
Esdras reconheceu que foi necessária a combinação dos três decretos, de Ciro, Dario, e Artaxerxes.


Data de Início = outono de 457 a.C.

Como podemos ter certeza que o 3º decreto foi realmente no outono de 457 a.C.?

1. Datas de Olimpíadas - historiadores clássicos preservaram acuradamente as datas das Olimpíadas para Artaxerxes. Essas datas foram transmitidas de Xenophon e Thucydides por meio de Plutarco para o cronologista cristão Julius Africanus;


2. Cânon de Ptolomeu - documentou os reinos de reis desde o 7º século a.C.;


3. Texto Cuneiforme  - (Compilado por Parker e Duberstein) – textos cuneiformes babilônicos, encontrados em sítios arqueológicos proveram um catálogo quase completo de registros de reis que dominaram aquela região, de 626 a.C. ao ano 75 d.C.;
 

4. Papiro de Elefantine - registros feitos por judeus que viviam na ilha Elefantine, no sul do Egito, durante o reinado persa. As datas foram registradas tanto no calendário lunar Persa-Babilônico, quanto no calendário lunar egípcio – o que ajudou a ajustar o sistema de datação da época ao nosso sistema atual.

 

“… até o Ungido, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas…”.

A. 7 semanas = 49 anos (457 a.C. a 408 a.C.);
B. 62 semanas = 434 anos 408 a.C. a d.C. 27).

João 1:4   - Jesus é o Messias;
Atos 10:38   - Deus ungiu Jesus com o Espírito Santo;
Lucas 3:1-3   - 15o ano de Tibério;
Lucas 3:15   - Grande expectativa;
Lucas 3:21-22  - Batismo de Jesus;
Marcos 1: 14-15  - O tempo foi comprido.


Dan 9:26

“... E depois de “62” semanas, será cortado o Ungido”.

Algumas versões novas chegam bem perto do texto original hebraico que diz: “e não tinha nada para si mesmo”. Algum tempo depois das 62 semanas, depois do ano 27 d.C., Jesus foi realmente “retirado” (do hebreu “Karath” – que significa “retirado”, “morto”), e Ele literalmente não tinha nada – até mesmo Seus discípulos o abandonaram naquele momento.

Mat. 26:56 “Mas tudo isso aconteceu para que se cumprissem as Escrituras dos profetas. Então todos os discípulos, deixando-o fugiram”.


FIGURA Nº 2

 

“... E o povo do Príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário...”

A palavra “Príncipe” se refere ao “Messias Príncipe”. Por causa da rejeição Príncipe de Deus, a nação judia destruiu-se a si mesma. Tendo rejeitado o Messias de Deus, a cidade foi destruída pelas legiões romanas sob o comando de Tito em 70 d.C. (Nota: esse fato não tem qualquer relação com a profecia dos 490 anos, mas está incluída dentro do período dos 2.300 anos.) A destruição de Jerusalém veio “como uma enchente” e “... até o fim haverá guerra; estão determinadas assolações”.


Dan. 9:27

“... E Ele fará um pacto firme com muitos por uma semana”

Jesus confirmou o concerto, pacto, “com muitos” do povo judeu ao longo do período de Seu ministério (3 1/2 anos) e então, após Sua crucifixão, ressurreição e ascensão, continuou a chamá-los para junto de si, por meio da igreja primitiva, ao longo de outros 3 1/2 anos até que Estevão foi apedrejado – uma clara evidência da rejeição da nação judaica aos apelos divinos – só então a mensagem foi levada com força às nações gentis (não judaicas).

Romanos 15:8  “Digo pois que Cristo foi feito ministro da circuncisão, por causa da verdade de Deus, para confirmar as promessas feitas aos pais”.

Hebreus 2:3   “... Como escaparemos nós, se descuidarmos de tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram”.


“... E na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação”

Cristo fez o sacrifício que ninguém faria. E, ao fazê-lo, Ele tornou completamente desnecessários os sacrifícios de animais e ofertas por pecados. Por isso Deus rasgou a cortina do Templo de alta abaixo (Mat. 27:51) simbolizando que, à partir daquele ponto, todos os filhos de Deus teriam acesso pessoal e direto a Ele sem a necessidade de intermediários ou de derramamento de sangue. Deus não mais estaria escondido atrás de uma cortina de templo. Cristo havia feito o sacrifício supremo pelos nossos pecados. Como resultado, Ele cumpriu todas as exigências da lei mosaica de sacrifícios.

Hebreus 10:8-10  “Tendo dito acima: Sacrifício e ofertas e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem neles Te deleitaste (os quais se oferecem segundo a lei); agora disse: Eis-Me aqui para fazer a Tua vontade. Ele tira o primeiro, para estabelecer o segundo. É nessa vontade dEle que temos sido santificados pela oferta do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez para sempre”.

(Cristo tinha extinguiu ou cumpriu a lei sacrifical e estabeleceu seu pacto eterno de graça – Ele pagou o preço de todos os nossos pecados – satisfazendo a justiça de Deus que exigia o sacrifício de sangue pelos pecados.)


“... E sobre a asa das abominações virá o assolador; e até a destruição determinada”

Deus permitiu uma destruição POR CAUSA da infidelidade de Israel (cf. Daniel 9:11, 18). Isso também se aplica profeticamente como um tipo, mostrando o que aconteceria com a desolação da igreja, sob as mãos da Roma papal.

Quando terminou o período probatório? Quando terminaram os 490 anos – exatamente no fim da 70ª semana. 

O que aconteceu? O apedrejamento de Estevão, primeiro mártir cristãos.

Os judeus conseguiram fazer com que Jesus fosse morto para satisfazê-los. Mas nesta ocasião, foram os integrantes do próprio Sinédrio que fizeram o serviço! A história registrou essa data com precisão, 3 1/2 anos depois da crucifixão de Jesus, em 34 d.C.

Atos 7:51-60   - Apedrejamento de Estevão - com Saulo entre eles.
Atos 13:46-47  - A mensagem de Deus para salvação da humanidade foi retirada dos judeus como nação e dada aos gentios, para que se tornassem na luz que deveria repartir as boas novas da salvação a todo mundo. Até esse ponto, acreditava-se que os judeus eram o povo que Deus havia selecionado e colocado à parte para serem os estandartes de luz – mas eles repetida e insistentemente rejeitaram a verdade e a luz que lhes fora dada e perderam seu privilégio.


Voltemos a Dan. 9:24 para revisarmos os seis pontos principais realçados por Gabriel.

70 semanas (490 anos) estão determinados para Israel e Jerusalém para:

1. “... Para fazer cessar a transgressão” (fazer parar a injustiça) e – “para dar fim aos pecados...”. Esse período durou até o momento em que terminou a oportunidade de arrependimento para os judeus – eles tiveram todo esse tempo para deixar de ser injustos, e seguir a Deus da forma como Ele os capacitou a fazê-lo;

2. “... E para expiar a iniqüidade...” – Jesus fez isso na cruz;

3. “... E trazer a justiça eterna...” – Jesus fez isso na cruz;

4. “... E selar a visão e a profecia...” - Mediante a clara a cabal demonstração de que a profecia dos 490 anos (70 semanas) havia sido cumprida, Jesus “selou” ou confirmou a precisão e correção de toda a profecia de Daniel 8 e 9. Desde que a porção de 70 semanas da profecia dos 2.300 anos foi completamente confirmada na terra com acuracia tão surpreendente, deveríamos ter confiança igual quanto ao completo cumprimento para o restante dessa mesma profecia dos 2.300 anos;

5. “... E para ungir o santíssimo” – Essa frase, no original hebraico quer dizer: “O Mais Santo”. Como aprendemos, Jesus foi o Santo de Deus que foi ungido em 27 d.C. Exatamente da forma como a profecia indicava, a unção de Jesus Cristo ocorreu exatamente dentro das 70 semanas proféticas.


VOLTEMOS A DANIEL 8:13-14
 
“Depois ouvi um santo que falava; e disse outro santo àquele que falava: ‘Até quando durará a visão relativamente ao holocausto contínuo e à transgressão assoladora, e à entrega do santuário e do exército, para serem pisados?’. Ele me respondeu: ‘Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; então o santuário será purificado’”.

Em Dan. 9:23, Gabriel diz que deveria fazer Daniel entender a visão de Daniel 8.

Em Daniel 8:13-14, vimos que a visão se relacionava aos 2.300 anos. Em Daniel 8:13-14 os anjos estão perguntando a Deus quanto tempo demoraria antes que a restauração do ministério sacerdotal de Jesus no santuário celestial e Suas verdades fossem redescobertas e quais seriam as pessoas que as entenderiam.

Percebemos que ambas as visões dos 2.300 anos assim como a dos 490 anos começavam exatamente no mesmo momento (os 490 anos foram retirados da profecia dos 2.300 anos). Portanto, 2.300 - 490 = 1.810 anos. Ano 34 d.C. + 1.810 anos = A.D. 1844. 

Assim, encontramos o ponto histórico de terminação da profecia dos 2.300 anos e a data exata para restauração e purificação do santuário (templo celestial) em 1844. Em 1.844, Jesus recebeu Seu domínio, Sua glória e reino (cf. Dan. 7:14), no momento em que Ele reafirma Sua atribuição sumo-sacerdotal.  Em 1844, Ele restaurou Seu “Tamid”, Seu ministério contínuo (“Tamid”) ao seu lugar justo, na mente e no coração do Seu povo.
 
(Hebreus 8: 2: “... Ministro do santuário, e do verdadeiro tabernáculo, que o Senhor fundou, e não o homem”.)


FIGURA Nº 3
 

2 Pontos Chave:

1. No fim das 70 semanas Jesus estabeleceu a Igreja Apostólica;

2. No fim dos 2.300 anos Jesus restaurou Sua Igreja (cf. Daniel 8:14)


A Igreja do Novo Testamento reconhecia e ensinava as profecias de Daniel’:

Marcos 1:14-15 - “... O tempo está cumprido...”;
Gál. 4:4 - Chegou “... a plenitude dos tempos”;
1 Pedro 1:10-12, 20     - “... Para as quais coisas os anjos bem desejam atentar” (compare com Dan. 13 - “... quanto tempo...”).


SUMÁRIO:

Quase 500 anos de acontecer, a profecia bíblica avisava quais seriam as datas exatas da reconstrução e restauração do Templo de Jerusalém, da unção de Jesus, a data exata de Sua crucifixão, e o fim do período probatório para os judeus.

Por meio da profecia temos prova inequívoca de que Jesus tinha toda razão em apresentar-se como o Messias. E que, pelo cumprimento tão perfeito dela, Ele “selou” a profecia e a visão, provando de uma vez por todas sua completa e total confiabilidade. Vendo a acuracia perfeita da profecia das 70 semanas proféticas, podemos confiar que Deus fez cumprir a segunda parte dela com a mesma perfeição, no ano de 1844.

Assim, em 1844, vemos Jesus (como descrito em Daniel 7:13-14) entrando na fase final do Seu ministério. Como o nosso Sumo Sacerdote, Ele entrou o Lugar Santíssimo do santuário celestial (à presença de Deus) para iniciar o julgamento e restaurar a igreja apostólica.

O final da profecia das 70 semanas aponta para Jesus como o nosso sacrifício pelos nossos pecados. Isso também aponta para o início do Seu ministério no Lugar Santo ao ascender para o céu. O final da profecia dos 2.300 anos aponta para Jesus novamente. Mas desta vez, o foco está em Jesus como o nosso Sumo Sacerdote no Lugar Santíssimo, na última hora do julgamento final da história humana.

Muitas das declarações e todas as figuras deste estudo foram retirados do livro: GOD CARES, por C. Mervyn Maxwell, págs. 196, 197, 207, 209, 239, 247 – 248 e 250.
 


.
 
A visita de Sua Eminência o cardeal Crescenzio Sepe, arcebispo de Nápoles, oferece-me a ocasião de fazer chegar a Sua Santidade minhas cordiais e fraternas saudações no Senhor. Sinto um profundo afeto por todos os irmãos ortodoxos e me sinto particularmente próximo deles nestes dias recentes do conf...  mais
   
.
 
CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 25 de dezembro de 2008 (ZENIT.org).- Bento XVI, que deverá peregrinar à Terra Santa no próximo mês de maio, pediu repetidamente neste Natal pela paz nessa região. ...  mais
   
.
 
Os presidentes e representantes governamentais dos países membros da Alternativa Bolivariana para os Povos de Nossa América (Alba), mais o Equador, deram hoje sinal verde à criação de uma moeda comum, denominada Sistema Único de Compensação Regional (Sucre), que inicialmente circulará de maneira vir...  mais
   
.
 
Já foram gravados 69 programas para a TV. O plano inicial de nosso PROJETO MISSIONÁRIO foi alcançado com sucesso. ...  mais
   
.
 
Graças a Deus nosso PROJETO MISSIONÁRIO conseguiu parceria com a ADRA Internacional. Esteve na Sede de nosso Ministério aqui em Sairé, o Pr. Landersom Santana que é o ministerial da União Nordeste. Ele ficou encantado com o Projeto Missionário e, direcionado por Deus e pelo Espírito Santo, entendeu ...  mais
   
.
 
Nos últimos dias 16 e 17 de janeiro, estivemos participando de uma reunião memorável....  mais
   
.
 
Nossa Sede do Projeto Missionário Alcançando Corações, já está sendo reformada e recebendo nova vida. Tudo aqui está sendo cuidadosamente ajustado para receber nossos alunos queridos que virão estudar e aprender como vivem os missionários ao redor do mundo!...  mais
   
.
 
O Senhor nunca falha. Estamos unidos nesta missão e o lugar ja é realidade....  mais
   
.
 
Louvado seja Deus porque podemos apresentar aos nossos irmãos as bençãos que recebemos durante o final de semana de 07 a 14 de Março na Igreja de Bezerros, PE. A serva de Deus, Maiza, esteve fazendo nestes dias uma semana de reavivamento espiritual......  mais
   
[ Alcançando Corações : Brasil ] 2009